Cuidados com animais de estimação no inverno devem ser redobrados; especialista explica

Pássaros também sofrem com o frio e precisam de cuidados especiais, alerta veterinária.

Por Thais Cavalcante 21/06/2017 - 16:57 hs
Foto: Neto Dutra/Arquivo pessoal
Cuidados com animais de estimação no inverno devem ser redobrados; especialista explica
Roupas e cobertores ajudam a manter animais aquecidos

O inverno está chegando e os cuidados com os animais de estimação também precisam ser redobrados. Devido à queda da temperatura e a diminuição da umidade do ar, é nesse período que muitos cães e gatos estão propensos a sofrer de doenças respiratórias, oculares e osteoarticulares.

A veterinária Laura Martins Caglioni explica que vírus, bactérias e fungos podem levar a problemas respiratórios. "Eles apresentam sinais como espirros, tosses, secreção nasal, febre, entre outros", explica a especialista, que cuida dos seus sete animais de estimação, três cachorras e quatro gatas, com mais determinação nessa época.

Segundo a veterinária, animais de focinho curto já possuem dificuldade respiratória naturalmente e nessa época do ano fica pior. Animais idosos ou com problemas osteoarticulares também podem sentir mais dores.

Cuidados na rotina

Para deixar os animais sempre protegidos de vento e chuva, casinhas e cobertas são itens essenciais. As raças de pelo curto e animais mais magros, com pouco tecido adiposo, como os da raça Pinscher e Tekel, são mais propensos a sentir frio.

As roupas também são importantes para mantê-los aquecidos, porém a veterinária esclarece que deve-se ficar atento para que não haja formação de nós em animais de pelos longos. Laura também alerta que os gatos normalmente não aceitam muito bem as roupinhas.

Com os filhotes, os cuidados devem ser redobrados. Por terem pouca reserva, eles podem sofrer de hipotermia muito mais fácil que os adultos e devem sempre estar abrigados das condições do tempo e com cobertas à disposição.

A alimentação tende a aumentar no inverno cerca de 20% e eles acabam tendo uma menor atividade física, levando a um aumento de peso.

Já os cães de raças mais adaptadas ao frio, que apresentam camadas de pelo e subpelo, além de possuírem uma maior camada de gordura sobre a pele, não precisam de roupas nessa época, mas Laura explica que também é necessário deixar o animal abrigado e com cobertas, assim eles ficam à vontade e não passam frio.

Banho e tosa

No inverno, as tosas mais curtas devem ser evitadas, manter com a pelagem mais comprida é o ideal nesta época do ano.

Assim como os banhos também devem ser evitados em dias mais frios e com intervalos mais longos. Mesmo quando der banho, sempre use água morna e seque bem. Também é aconselhável depois esperar cerca de 30 minutos antes de deixá-los sair de casa, pois o choque térmico é prejudicial, esclarece a veterinária.

Coelhos

Os coelhos, que normalmente toleram bem o frio por causa do pelo e da gordura, também devem ganhar os mesmos cuidados dos cães e gatos com ambientes protegidos de ventos.

"Se o animal dormir em gaiola, deve-se utilizar capas protetoras. As quedas de temperatura também podem predispor a enfermidades respiratórias", alerta Laura.

Os passeios devem ser realizados durante o dia, quando as temperaturas estão mais altas. E a atenção com os filhotes deve ser maior, pois os mesmos sofrem mais com as quedas de temperaturas.

Pássaros

Quando chega o frio também é preciso pensar nos cuidados com os pássaros, que podem adquirir principalmente enfermidades respiratórias.

Eles devem ser levados a locais protegidos, longe de correntes de ar e chuvas. Em dias mais frios, as gaiolas devem ser cobertas com capas, principalmente à noite, quando a temperatura tende a cair.

A veterinária explica que, mesmo nos dias mais frios, os pássaros precisam tomar sol, pois auxilia na síntese de vitaminas.

Renata Marconi/g1.globo.com