HC de Botucatu alerta para golpes contra familiares de pacientes da UTI

Neste mês, Unidade de Terapia Intensiva chegou a receber três ligações por dia dos estelionatários. Falta de boletim de ocorrência prejudica investigações, diz delegado.

Por Carla Parezan 30/10/2017 - 14:31 hs
Foto: Imagem Ilustrativa/Google
HC de Botucatu alerta para golpes contra familiares de pacientes da UTI
Hospital das Clinicas de Botucatu

A administração do Hospital das Clínicas de Botucatu (SP) alerta para a ocorrência de ligações de golpistas se apresentando como falsos médicos. Os criminosos telefonam, tentam colher informações de pessoas internadas para depois pedir dinheiro para as famílias dos pacientes.

"A pessoa se passa por médico e pede informações, nome, endereço, telefone e normalmente o setor o qual mais ligam é o da UTI", explica a gerente de enfermagem Bárbara Nery.

 

Só neste mês, a Unidade de Terapia Intensiva chegou a receber três ligações por dia dos estelionatários. "Após isso, eles abordam as famílias para tentar adquirir dinheiro alegando que precisam ser feitos alguns exames de urgência que o hospital não possui, cobrando então o depósito em uma conta bancária", explica.

Todos os procedimentos oferecidos no Hospital das Clínicas são gratuitos, já que a unidade atende integralmente pelo Sistema Único de Saúde.

Alerta foi divulgado pelo HC para evitar os golpes em Botucatu  (Foto: Reprodução / TV TEM ) Alerta foi divulgado pelo HC para evitar os golpes em Botucatu  (Foto: Reprodução / TV TEM )
Alerta foi divulgado pelo HC para evitar os golpes em Botucatu (Foto: Reprodução / TV TEM )

 

De acordo com a polícia, na maioria dos casos de tentativa de estelionato, ou seja quando a pessoa não cai no golpe, as vítimas acabam não registrando o boletim de ocorrência, o que dificulta o trabalho as investigações, como argumenta o delegado Celso Olindo.

"Não tem nenhum caso registrado atualmente em hospitais que tenha se consumado e a vítima tenha procurado a polícia. Pode até ter havido, mas não procuraram a Polícia Civil para o registro da ocorrência", diz o delgado que orienta as vítimas a procurar a polícia mesmo que não tenha feito qualquer pagamento aos golpistas.

 

Bauru e  Marília - g1.globo.com