Mulher é presa por colocar veneno no remédio da sogra

Vítima vinha sofrendo com sintomas típicos de envenenamento

Por Carla Parezan 13/06/2018 - 09:34 hs
Foto: Polícia Civil/Divulgação
Mulher é presa por colocar veneno no remédio da sogra
A foto mostra o remédio que deveria estar dentro das cápsulas

A Polícia Civil de Dois Córregos prendeu em flagrante nesta terça-feira (12) uma mulher de 40 anos suspeita de adicionar veneno de rato conhecido popularmente como "chumbinho" a medicamento de uso contínuo da sogra, de 76 anos. Informalmente, ela confessou o crime e disse que tinha mágoa da vítima pela forma com que ela tratava o seu filho.

De acordo com o delegado titular de Dois Córregos, Márcio Leandro Moretto, a acusada, que não teve a identidade divulgada, era responsável por medicar a sogra. Há quinze dias, a família da idosa contratou uma cuidadora, que passou a assumir essa função.

Na semana passada, a funcionária descartou uma cápsula de remédio após suspeitar que ela havia sido manipulada. "Foi dada orientação a cuidadora para que, no caso de novamente perceber algo suspeito, avisar dois sobrinhos da vítima", explica Moretto.

Ontem, a idosa recebeu visita da nora. "Antes de sair da casa, ela passou a insistir para que a medicação fosse administrada na sua frente, fato que não ocorreu. Com a saída dela, a cuidadora percebeu que a embalagem com medicação havia sido violada", diz.

Segundo o delegado, a funcionária avisou os sobrinhos da vítima, que foram até o local e detectaram a violação da embalagem e a aparente manipulação da cápsula. Eles chegaram a gravar um vídeo que mostra abertura da cápsula e localização do veneno.

A Polícia Civil foi acionada e, antes da chegada da equipe, a suspeita retornou ao imóvel e tentou pegar a bandeja onde estava o veneno, sem sucesso. Moretto revela que, informalmente, ela admitiu que colocou chumbinho no lugar do medicamento por duas vezes.

A mulher foi encaminhada à delegacia da cidade e autuada em flagrante por tentativa de homicídio qualificado. O delegado representou pela conversão da prisão em flagrante em prisão preventiva e, na audiência de custódia, o pedido foi aceito pela Justiça.

INTERNAÇÕES

Familiares contaram à polícia que, desde a Páscoa, a idosa apresenta sintomas típicos de envenenamento, como vômitos, diarreia, espuma pela boca e olhos lacrimejantes. Por diversas vezes, ela chegou a ficar internada, sem que as causas desses sintomas fossem detectadas.

Lilian Grasiela - jcnet.com.br