Alunos do SESI recebem prêmio internacional

A equipe de robótica participou de evento mundial com mais 100 equipes

Por Carla Parezan 15/06/2018 - 15:37 hs
Foto: Jonathan Rotor
Alunos do SESI recebem prêmio internacional
Equipe premiado no mundial de robótica

A Biotech equipe de robótica do SESI de Barra Bonita voltou do mundial na Estônia com o segundo lugar na categoria Trabalho em Equipe.

Os alunos e a professora da equipe, Ana Maria Papili, retornaram para Barra Bonita na quinta-feira (14). Foram 10 dias na Europa, sendo três dias de competição e nos outros os alunos conheceram a cultura local. No total 100 equipes de diversas partes do mundo participaram do evento. Representando o Brasil havia duas equipes: a Biotech do SESI de Barra Bonita e a Fênix do SESI de Bauru. Ambas as equipes foram premiadas no mundial.

De acordo com a professora há três pilares que compõem a robótica. “Os alunos precisam pensar no designer do robô, conceitos físicos e matemáticos para a construção. O segundo é saber trabalhar em equipe, ser uma equipe unida, que consegue resolver os problemas sempre juntos, para equilibrar os três valores. E o terceiro é a parte da pesquisa, desenvolver um trabalho para solucionar o problema”, explicou ela.

Há quatro premiações, um pódio para cada um dos pilares da robótica e também um prêmio para a pesquisa em si. Barra Bonita ficou com o segundo lugar na categoria trabalho em equipe. Bauru ficou com o primeiro lugar na categoria programação, que visa à construção do robô.

A COMPETIÇÃO

Na disputa todas as equipes tiveram que descobrir uma solução inovadora para o problema da água. São 150 segundos, ou seja, dois minutos e meio, que cada equipe tem para resolver o maior número de missões possíveis na mesa. No total são 18 “problemas” a serem resolvidos.

A pesquisa da Barra foi baseada no Rio Tietê. Os alunos explicaram que por meio da pesquisa descobriram uma concentração muito grande de dois componentes na água: nitrato e fosfato, presentes no sabão. Por não haver tratamento de esgoto na cidade o rio acaba sendo poluído.  Para amenizar a poluição por sabão, os alunos do ensino fundamental desenvolveram um filtro, chamado Natufiltro. O objetivo é que o filtro não deixe mais esses poluentes chegarem ao Rio Tietê.

A Prefeitura se comprometeu em instalar o filtro nas residências que ainda serão construídas no município. O valor do filtro é de R$ 34,50 e tem a durabilidade de cerca de 10 anos, sendo possível a manutenção nesse meio tempo. O Natufiltro já está sendo fabricado e deve ser instalado no encanamento de lavanderia, depois caixa de passagem da máquina de lavar, para evitar que o sabão vá para a rede de esgoto.