Suspeito de matar jovem é solto e investigações prosseguem em Jaú

Auxiliar geral de 44 anos foi flagrado se masturbando na frente de menina de 10 anos na mesma região onde vítima foi achada com sinais de estupro

Por Cristiane Gomes 06/12/2018 - 15:02 hs
Foto: Facebook
Suspeito de matar jovem é solto e investigações prosseguem em Jaú
o corpo da jovem foi avistado por duas pessoas, no fim da tarde de terça-feira

Um auxiliar geral de 44 anos preso pela Polícia Civil por suspeita de envolvimento na morte de Bruna Vines Ribeiro, 22 anos, encontrada estrangulada e com sinais de violência sexual nesta terça-feira (4), em Jaú, foi solto pela justiça nessa quarta-feira (5) na audiência de custódia. Além de tentar reunir mais evidências da participação dele, a polícia procura testemunhas e imagens de câmeras de segurança que possam ajudar a esclarecer o crime.

Conforme divulgado ontem pelo JC, o corpo da jovem foi avistado por duas pessoas, no fim da tarde de terça-feira (4), na avenida João Lorenzon, na 2.ª Zona Industrial de Jaú, próximo a um centro de compras. Ela vestia apenas blusa e, na bolsa dela, foram encontrados vários preservativos.

Segundo a Polícia Civil, o autor do crime usou a calcinha da vítima para amarrar as mãos dela e a alça da sua bolsa para estrangulá-la. Como ela não carregava nenhum documento pessoal, equipes da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Jaú só conseguiram identificá-la no fim da noite.

O delegado plantonista, Durval Izar, que registrou a ocorrência, contou que requisitou ao Instituto Médico Legal (IML) a realização de exames para confirmar se a jovem foi estuprada antes de ser morta. "É muito provável que sim, mas precisamos dos exames para poder afirmar", declarou ao JC.

PRISÃO

Durante as diligências, de acordo com o delegado titular da DIG, Marcelo Aparecido Tomaz Goes, equipes apuraram que Bruna morava em Bandeirantes, no Paraná, e, há cerca de duas semanas, após separar-se do marido, passou a morar com uma irmã no Jardim Maria Luiza IV, em Jaú, e fazer programas amorosos.

Investigações que começaram após o encontro do corpo da jovem, segundo ele, indicaram que ela foi vista pela última vez após entrar em um carro branco. Na mesma região e horário, auxiliar geral de 44 anos em um veículo com mesma cor e características foi flagrado se masturbando na frente de menina de 10 anos.

O homem acabou preso em flagrante por policiais civis pelo crime de satisfação de lascívia mediante a presença de criança, mas também passou a ser investigado por suspeita de envolvimento no homicídio da jovem em razão de uma série de evidências que, de acordo com o delegado, o colocam na cena do crime.

"Entre eles, estão a conduta praticada em relação à criança, o mesmo modelo de carro e a proximidade do local onde a vítima mantinha os encontros ou estabelecia os contatos para os encontros amorosos de onde ele foi encontrado, bairro que, por coincidência ou não, era onde ela também residia", revela Goes.

Na audiência de custódia, o suspeito foi liberado. Apesar da decisão, o titular da DIG explica que ele segue sendo considerado suspeito. "Inclusive, colhemos material genético para comprovar ou não o crime", diz. "O que chama a atenção é a presença dele nos locais onde a vítima estaria. Agora, nós vamos trabalhar a investigação em relação a ele e, em paralelo, em relação  a outras pessoas que podem ter praticado o crime".

As informações são da pagina do jcnet