Mulher agredida e estuprada por ex- marido PM relata agressões: 'Me batia com arma na mão'

Vítima conseguiu pegar a arma dele, atirar e fugir das agressões em São Manuel. Homem de 23 anos segue internado no HC de Botucatu sob escolta; vítima relata medo pelas ameaças de vingança.

Por Cristiane Gomes 08/02/2019 - 16:38 hs
Foto: Reprodução/Facebook
Mulher agredida e estuprada por ex- marido PM relata agressões: \'Me batia com arma na mão\'
Policial militar Kleber de Oliveira levou dos tiros no abdômen

Enquanto a Polícia Civil de São Manuel investiga os crimes de estupro, sequestro e tentativa de feminicídio praticados por um policial militar contra a ex-companheira, no último fim de semana, a mulher de 22 anos que conseguiu reagir e atirar no agressor relata o medo que passou a sentir após a série de ameaças que sofreu.

O policial militar Kleber Otávio de Oliveira, de 23 anos, está internado no Hospital das Clínicas da Unesp de Botucatu desde 1º de fevereiro sob escolta. O HC informou apenas que o policial segue sob cuidados intensivos e que não tem previsão de alta.

À TV TEM, a mulher, que tem com o policial uma filha de dois anos, contou com detalhes os momentos de terror que passou no dia das agressões.

"Ele chegou muito rápido, me arrastou para fora de casa e me dava murros com a arma na mão. Me jogou na frente do carro e falou que se eu não entrasse ele ia matar minha família. Depois saiu correndo, me batia o tempo todo, eu tinha certeza que ia morrer”, disse a mulher.

Segundo os depoimentos prestados à Polícia Civil, o policial foi até a casa da ex por não aceitar o fim do relacionamento.

Ele agrediu o padrasto da mulher e levou a jovem em seu carro para um lugar afastado da cidade, onde, segundo os depoimentos e as investigações, a vítima foi agredida e estuprada.

Durante as agressões, a mulher aproveitou um momento de distração do policial para pegar o revólver dele e atirar duas vezes. Kleber Oliveira que foi atingido no abdômen, conseguiu fugir e pedir ajuda em uma usina da região.

‘Ele me levou para o meio do canavial, mandou eu tirar a roupa e passava a arma pelo meu corpo. Enquanto me estuprava começou a me enforcar. Quando peguei a arma, atirei no susto”, disse.

Depois dos momentos de terror, a mulher admite que não consegue mais dormir em função da série de ameaças feitas pelo agressor. Dentre elas, estaria a de matar a filha de dois anos.

“Eu acordo desesperada toda noite, não posso ouvir um carro acelerando. Só tenho medo de ele voltar e matar minha filha, ele falou que vai matar também a família do meu irmão”, contou a mulher.

Segundo a delegada titular da Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) de São Manuel Ana Carolina de Brito, o policial foi atuado em flagrante por sequestro, estupro e tentativa de feminicídio. “Depoimento de testemunhas comprovam a versão contada pela vítima e agora aguardo uma resposta dos médicos para poder colher o depoimento dele e dar sequência ao inquérito”, explicou a delegada.

O policial atua na capital paulista, no 43º Batalhão de Tremembé, foi socorrido e levado ao pronto-socorro de São Manuel. Em seguida, foi transferido para o Hospital das Clínicas de Botucatu, onde permanece internado sob escolta policial.

Segundo a titular da DDM, assim que tiver alta, Kleber será levado ao presídio Romão Gomes, na capital.


Por G1 Bauru e Marília