Depressão: identificando a doença em adolescentes

A ‘doença do século’ necessita da sensibilidade dos pais para o êxito no tratamento

Por Camila Ramos 03/07/2019 - 11:52 hs
Foto: Imagem ilustrativa/Google
Depressão: identificando a doença em adolescentes
Pais ou responsáveis devem se atentar ao comportamento dos adolescentes

Considerada a ‘doença do século’ pela OMS – Organização Mundial de Saúde acometem cada vez mais crianças e adolescentes. Por ser uma fase mais retraída, os pais sentem dificuldades em diferenciar um comportamento normal de um comportamento irregular.

A psicóloga Priscilla Pereira, especialista em clínica escolar e educacional diz que é necessário se atentar às mudanças de comportamento do adolescente. “Devemos ter em mente que a criança e o adolescente estão em comunicação constante conosco, eles demonstram diversos sinais de que estão felizes, tristes, ansiosos, bravos, com medo, com insegurança”, comenta.

A necessidade de manter um ambiente acolhedor, sensível e empático com a dor se faz necessário de forma a prevenir vidas de um possível quadro de transtorno mental. A psicóloga usa uma analogia para explicar os diferentes tipos de comportamentos vindos de crianças quietas e mais hiperativas. “Na verdade ambas as crianças estão nos comunicando que algo não vai bem. Elas estão esperando que alguém a entendam e que possam também ajudá-las a entender o que estão sentindo e porque agem dessa forma”, diz.

De acordo com a OMS, 800 mil pessoas morrem por suicídio a cada ano, sendo essa a segunda causa principal entre pessoas de 15 a 29 anos. A psicóloga Priscilla orienta as pessoas a observarem quem está a sua volta e o comportamento em algumas ocasiões que podem ser indícios de depressão. “Saber reconhecer a intensidade e a frequência desses sintomas e identificar os sinais é de suma importância para um diagnóstico rápido”, explica.

O tratamento para a depressão depende de cada caso, apresentando resultados eficazes caso tenha sido identificado precocemente com a ajuda de um profissional adequado, a orientação dos pais e da medicação, quando necessária.