Operação Querubim prende doze pessoas na região

Polícia Civil prende padre, fotógrafo, analista de TI e mais nove profissionais liberais por crimes relacionados à conteúdo pornográfico infantil

Por Camila Ramos 11/07/2019 - 11:03 hs
Foto: Polícia Civil/Divulgação
Operação Querubim prende doze pessoas na região
Além de computadores, HDs, pendrives e DVDs, foram apreendidas 3 armas

Doze pessoas foram presas em flagrante pelo crime de armazenamento, compartilhamento e produção de conteúdo pornográfico infantil. A Operação Querubim, deflagrada pelo Departamento de Polícia Judiciária do Interior 4 (Deinter-4) prendeu padre, fotógrafo, analista de TI e outros nove profissionais liberais nesta quarta-feira (10) por volta das 6h.

De acordo com o diretor do Deinter – 4, Marcos Baurraj Mourão, a operação teve início há quatro meses quando quatro policiais especializados com o apoio de outro servidor pertencente ao Deinter – 5 fizeram buscas na deep web tornando o seu conteúdo para um grande público.

A equipe de inteligência analisou 23.459 IPs diferentes, além de 2 mil arquivos. Por fim, chegou a 15 alvos, sendo três em Bauru, três em Jaú, três em Marília, dois em Ourinhos, um em Tupã, um em Pederneiras, um em Ubirajara e um em Promissão. Participaram da prisão 70 policiais civis e outros 12 integrantes da Política Científica cumprindo mandados de busca e apreensão.

Foram recolhidos computadores, pendrives, HDs, DVDs, brinquedos e até três armas municiadas. "O conteúdo é repugnante e enojou, inclusive, os policiais mais experientes", avalia o delegado.

A Operação Querubim foi considerada a maior de toda a região de Bauru em termos de prisões. Se houver condenação, a pena é de 1 a 4 anos de reclusão. Caso a sentença envolva o compartilhamento do material, a sanção sobe para 3 a 6 anos. Já a produção de imagens leva à reclusão de 1 a 8 anos.

Na casa de um dos suspeitos, a polícia também encontrou brinquedos usados para atrair crianças.